Variações da produtividade oceânica ao largo da Península Ibérica durante o MIS 5 e a sua relação com a Circulação Thermohalina

Silvia Nave, Susana Lebreiro, Catherine Kissel, Abel Guihou, Maria Ondina Figueiredo, Teresa Silva, Elisabeth Michel, Elsa Cortijo, Laurent Labeyrie, Antje Voelker

Abstract


O estudo, mostrou que a produtividade oceânica ao largo da costa ocidental Portuguesa é maior durante as fases frias do Estádio 5 e durante os Estádios Glaciares 4 e 6, sugerindo uma maior disponibilidade de nutrientes durante esses períodos. Os dados de d13C, variações da granulometria e parâmetros magnéticos, sugerem correntes de fundo mais fortes durante os períodos frios, concordantes com uma maior contribuição das correntes de fundo austrais na margem Este do Atlântico Norte. Os nossos dados sugerem uma ligação entre a variação da produtividade oceânica e a circulação termohalina.

Keywords


Oceanic productivity, AMOC, Tore Seamount

Full Text: PDF

 

 

Hosted and maintained by Método Directo.